julho 26, 2016 - No Comments!

Dicas de lugares para viajar com a magrela

Planejar uma viagem com a magrela pode ser mais fácil do que você imagina. Pedalar dias em cima da bicicleta por diferentes cidades e locais é totalmente difícil, e um dos grandes erros de quem sonha em viver alguns quilômetros em duas rodas é imaginar que isso é impossível. Descubra dicas de lugares para viajar com a magrela

Os primeiros pensamentos que surgem na hora de decidir uma viagem com a bike são os locais, a segurança e a estrutura que irá se encontrar. E se essa aventura não irá lhe prejudicar.

Para resolver isso há vários tipos de passeios. Aqueles de um dia até aqueles de uma semana. Todos com lindas paisagens proporcionando uma maneira diferente de conhecer as regiões do Brasil.

Então prepare sua mochila, alforge, pernas e pulmões e borá ser feliz!

Começando pelo sul do Brasil nossa primeira parada é no Rio Grande do Sul com o Vale dos Vinhedos (RS):

Localizada no sul do Brasil o pedal do vinho passa por diversas propriedades rurais e vinícolas. O trajeto é de dificuldade média passando por diversos pontos, tais como, Vale do rio das antas e Vale dos vinhedos contando também com degustações de vinhos com mais de 20 vinícolas. O circuito pode ser feito em um ou dois dias, mas o ideal é quatro dias nos quais você aproveitara ao máximo cada ponto e parada e as diversas subidas e descidas do trajeto.

O caminho das pedras passa por várias casas centenárias construídas por pedras e madeiras, o caminho tem 50 pontos de observação e 13 de visitação contando com cantinas, ateliês, capelas, casas históricas e pequenas propriedades com produtores de alimentos.

Se você não puder levar sua magrela há também a opção de alugar bicicletas. Primeiro você escolhe o roteiro que irá fazer, a média de valores são “Pegando leve” com duração de 4 horas, percurso de 10 Km e valor por pessoa R$ 185,00 (bicicleta, degustações e lanches). “Suando a camisa” com duração de 8 horas, percurso de 27 Km e valor por pessoa R$ 270,00 (bicicleta. Degustação e lanches), saiba mais no site: http://www.dallonder.com.br/quetaldebikecicloturismo/

A segunda parada já é bem mais conhecida chamada de Circuito Vale Europeu (SC) fica localizada entre diferentes fazendas com exuberantes paisagens.

Ainda no sul do Brasil passando por pequenas cidades e vilarejos de colonização italiana e alemã, o circuito é um trajeto circular e conta com 350 Km de estrada de terra onde são sugeridos sete dias para se desfrutar ao máximo possível do passeio. O percurso pode ser dividido em duas partes, uma segue de Timbó a Rodeio e é de dificuldade média a outra é chamada de parte alta, onde você terá que subir a serra e tem dificuldade alta.

A região por onde passa o circuito possui lindas paisagens e uma natureza preservada e com muitas áreas de mata atlântica intocadas, além de um show à parte dada pelas araucárias típicas do sul do país. A presença de água é muito abundante. No local é possível ver muitas nascentes, então para fazer um bom passeio evite épocas de chuvas (fim de primavera e verão).

Passando por rodeio a paisagem se torna curiosa, pois o local conta com várias estatuas de anjos por todo caminho feitos por um artista plástico da região. Não deixem de conhecer a cachoeira do zinco com 76 metros é o cartão postal e também ponto turístico fica na Fazenda Campo do Zinco o local é aberto aos sábados, domingos e feriados das 9:00 as 17:00. Tem também a famosa Pomerode intitulada desde a década de 1980 como a cidade mais alemã do Brasil.

Para mais informações entre em contato com a organização do Circuito Vale Europeu, eles disponibilizarão uma lista com lugares para se hospedar e comer:

 www.circuitovaleeurope.com.br

Subindo nosso Brasil chegamos as estradas entre Curitiba a Morretes (PR):

O caminho até Morretes pode ser feito em um dia o trecho conta com pouco menos que 80 Km que são feitos pelo acostamento da via e logo depois a decida pela Serra da Graciosa com seus paralelepípedos originais que serviram como rota para tropeiros construída em 1854.

Saindo da rodoviária a maior parte do caminho feita pelo acostamento conta com mata atlântica. A Serra da Graciosa conta com muita decida, podendo encontrar algumas poucas subidas chegando em Morretes há poucas subidas, há muitos pontos de descanso em morretes além da cuinária típica da cidade o Barreado (Cozido de carne), Hummm!!! Você não pode deixar de provar, não deixe de conhecer os pontos turísticos da cidade. Para fechar com chave de ouro volta a Curitiba pelo trem da Serra do Mar que liga a capital ao porto de Paranaguá.

Para mais informações acesse o site: serraverdeexpress.com.br

Os passeios pelo sul do Brasil acabam sendo resumidos nesses. É claro que podemos encontrar alguns outros roteiros que são fenomenais. Porém, esses são inesquecíveis e devem ser visitados caso você deseje conhecer melhor o sul do Brasil em sua magrela.

Com os locais definidos fica tudo mais prático e dinâmico. A possibilidade em manter uma segurança adequada redobra quando sabe-se para onde se está indo. Basta uma boa organização e uma pesquisa sobre os serviços prestados que seu passeio se torna seguro.  

Tem interesse a mais conteúdo sobre MTB e ciclismo? Acesse logo abaixo o link do nosso ebook e adquira o único livro digital que fala sobre Mountain Bike e a relação com os pedais semanais e diários.

Mountain Bike do iniciante ao avançado

ACESSE AQUI E ADQUIRA JÁ!!!

Published by: Heron Soares Santos in PASSEIO

Leave a Reply